A FORMAÇÃO DISCURSIVA NO CONTEXTO AMAZÔNICO ACREANO

Jirlany Marreiro da Costa Bezerra, Raimundo Gouveia da Silva

Resumo


Resumo: O presente artigo apresenta a importância dos relatos cronistas do século XVI e XVII, na descoberta da Amazônia e todas as adversidades existentes, vista através dos olhos europeus, relida em relatos literários, ficcionais e historiográficos como de Euclides da Cunha (1999), José Potiguara (2007), Ana Pizarro (2012), entre outros que narram o contexto amazônico, a descoberta das terras Acreanas, a introdução dos imigrantes nordestinos e dos deportados e desterrados, assim como a significação da borracha no contexto amazônico.

Palavras-chaves: Acre, Amazônia, borracha, seringueiro.

 

THE DISCURSIVE FORMATION IN THE AMAZONIC AMAZONIAN CONTEXTO

 

This article presents the importance of chronicles from the sixteenth and seventeenth centuries, in the discovery of the Amazon and all the existing adversities, seen through the eyes of Europe, re-read in literary, fictional and historiographic reports as of Euclides da Cunha (1999), José Potiguara (2007), Ana Pizarro (2012), among others that narrate the Amazonian context, the discovery of the Acreanas lands, the introduction of northeastern immigrants and the deportees and exiles, as well as the meaning of rubber in the Amazon context.

 

Keywords: Acre, Amazon, rubber, rubber tappers.

 

LA FORMACIÓN DISCURSIVA EN EL CONTEXTO AMAZÓNICO ACREANO

 

Resumen: El presente artículo presenta la importancia de los relatos cronistas del siglo XVI y XVII, en el descubrimiento de la Amazonia y todas las adversidades existentes, vista a través de los ojos europeos, relinda en relatos literarios, ficticios e historiográficos como de Euclides da Cunha (1999), En el caso de los inmigrantes nordestinos y de los deportados y desterrados, así como la significación del caucho en el contexto amazónico, entre otros que narran el contexto amazónico, el descubrimiento de las tierras Acreanas, la introducción de los inmigrantes nordestinos y de los deportados y desterrados, así como la significación del caucho en el contexto amazónico.

Palabras claves: Acre, Amazonia, caucho, caucho, caucho.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval Muniz. Preconceito contra a origem geográfica e de lugar: as fronteiras da discórdia. São Paulo: Cortez, 2012.

COSTA, Craveiro. A conquista do deserto ocidental: subsídios para a História do Território do Acre. Rio Branco: Tribunal de Justiça, 2003.

CUNHA, Euclides. A margem da história. Belém: NEAD/Unama. Disponível em , acessado em 12/10/2015.

LIMA, Manoel Ferreira. O Acre II.

PIZARRO, Ana. Amazônia: as vozes do rio. Tradução Rômulo Monte Alto. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2012.

POTYGUARA, José. Terra Caída. São Paulo: Globo, 2007.

RANZI, Cleusa Maria Damo. Raízes do Acre (1870 – 1971). Rio Branco, AC: EDUFAC, 2008.

ROCHA, Hélio Rodrigues da. Microfísicas do imperalismo: a Amazônia rondoniense e acreana em quatro relatos de vagem. Curitiba: Editora CRV, 2012.

SILVA, Francisco Bento da. Acre, a “pátria dos proscritos”: prisões e desterros para as regiões do Acre em 1904 e 1910. Curitiba, 2010.

SOUZA, Carlos Alberto Alves de. História do Acre: novos temas, nova abordagem. Rio Branco, Editor Carlos Alberto Alves de Souza, 2005.

TOCANTINS, Leandro. O rio comanda a vida: uma interpretação da Amazônia. Rio de Janeiro: Bibliex, 1973.

UGARTE, Auxiliomar Silva. Sertões de bárbaros: o mundo natural e as sociedades indígenas na Amazônia na visão dos cronistas ibéricos – séculos XVI/XVII. Manaus: Valer, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REVISTA COMMUNITAS

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

     Licença Creative Commons Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

REVISTA COMMUNITAS - ISSN: 2526-5970 - Publicação Semestral do Grupo de Pesquisas em Memórias, Identidades, Currículos e Culturas vinculado ao Centro de Educação e Letras da Universidade Federal do Acre.