A MIGRANTE AFRICANA: PROCESSOS IDENTITÁRIOS E RESISTÊNCIA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO

Luana Caetano Thibes, Daiana Nascimento dos Santos

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar o processo de migração retratado no romance Americanah (2014), de Chimamanda Ngozi Adichie, focando nas experiências vividas pela mulher negra, desde vivências em seu país de origem, passando pela descoberta enquanto negra e pela adaptação ao que se espera dela – tanto no que concerne à nacionalidade, quanto à raça e ao gênero –, e finalmente chegando ao momento do despertar crítico. Conclui que a mulher negra migrante sofre classificação negativa triplamente, não só sendo inferiorizada em relação a outros grupos, como também sendo submetida a toda sorte de imposições hegemônicas. Aponta, por fim, para a necessidade de descolonização das mentalidades pós-coloniais como forma de resistência ao modelo eurocêntrico. 

Abstract:

This article aims to present the migratory process portrayed in the novel Americanah (2014), by Chimamanda Ngozi Adichie, focusing on black women experiences, from the ones in their country of origin, through their discovery while black and the adaptation to what is expected of them – concerning nationality as well as race and gender –, and finally reaching the moment of critical awakening. It concludes that immigrant black women suffer triply from negative rating, not only being outclassed in relation to other groups, as well as being subject to all sorts of hegemonic impositions. Finally, it points to the need of post-colonial mentality decolonization as a form of resistance to the Eurocentric model.

Keywords: Imigration; Black woman; Migratory processes; Chimamanda Ngozi Adichie.


Palavras-chave


Migração; Mulher negra; Processos migratórios; Chimamanda Ngozi Adichie.

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, Chimamanda Ngozi. Americanah. Tradução Julia Romeu. – 1ª ed. – São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BADI, Mbuyi Kabunda. África em movimiento: migraciones internas y externas. Madrid: Ediciones Cataratas, 2012.

FANON, Frantz. Racismo e Cultura. In: SANCHES, M.R. (org.) Malhas que os impérios tecem: textos anticoloniais, contextos pós-coloniais. Lisboa: Edições 70, 2011.

MAESTRO, Susana Moreno. Culturas africanas y migraciones: entre la imposición y la resistencia. In: BADI, M. K. (coord.) África en movimiento: migraciones internas y externas. Madrid: Ediciones Cataratas, 2012.

SANTOS, Daiana Nascimento dos. El océano de fronteras invisibles: relecturas históricas sobre (¿el fin? de) la esclavitud en la novela contemporánea. Madrid: Verbum, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REVISTA COMMUNITAS

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

     Licença Creative Commons Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

REVISTA COMMUNITAS - ISSN: 2526-5970 - Publicação Semestral do Grupo de Pesquisas em Memórias, Identidades, Currículos e Culturas vinculado ao Centro de Educação e Letras da Universidade Federal do Acre.