O ENSINO DA LÍNGUA INGLESA EM UMA COMUNIDADE AMAZÔNICA: PRÁTICAS DE RESISTÊNCIA AO IMPERIALISMO DO MERCADO EDITORIAL

José Mauro Souza Uchôa

Resumo


Resumo: O presente artigo apresenta uma discussão teórica a respeito de uma estratégia de ensino de língua inglesa que valoriza os contextos locais dos aprendizes como base para construção de novos conhecimentos.  A argumentação discursiva do artigo se contrapõe ao ensino cristalizado, na maioria das vezes, norteado pelo ensino das estruturas linguísticas e apoiado no livro didático que é produzido pelas grandes editoras. Geralmente, essa abordagem de ensino não leva em consideração os contextos sociais dos aprendizes. Pela pratica teoricamente orientada é possível resistir às imposições acachapantes do mercado editorial e conjecturar uma proposta metodológica de ensino que oportunize aos aprendizes partir do local para o global. Para tanto, dialoga-se com a ideia de educação emancipatória proposta por Adorno (1995), educação como libertação e ascensão cultural pensada por Freire (1996) além de incorporar a luta contra as epistemologias dominantes difundidas por Santos, (1996). Em relação ao ensino de língua inglesa, as sugestões de autores como Holliday (1994), Canagarajah (2005) e Kumaravadivelu (2003, 2011) direcionam para a proposição de alternativas às estratégias de didática de línguas vigentes na maioria dos contextos de ensino. Os autores nomeados rejeitam os preceitos de determinados métodos rotulados por princípios da globalização. Eles orientam ao professor pensar o próprio contexto social em que está inserido para, posteriormente, propor uma abordagem metodológica de ensino de língua inglesa apropriado ao contexto.

 


Palavras-chave


Ensino; Língua inglesa, contexto, local

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Educação e Emancipação. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1995.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: reflexões sobre a origem e a expansão do nacionalismo. Lisboa: Edições 70, 2005.

APPADURAI, Arjun. Modernity at large: cultural dimensions of globalization. Minnesota: University of Minneapolis Press, 1996.

CANAGARAJAH, Athelstan Suresh. Reconstructing Local Knowledge, Reconfiguring Language Studies. In: CANAGARAJAH, Athelstan Suresh. (Org.). Reclaiming the local in language policy and practice. Mahwah: Lawrence Erlbaum, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

FURTADO, Júnia. Ferreira. Cultura e Sociedade no Brasil colônia. São Paulo: Atual, 2000.

GELLNER, Ernest. Nations and Nationalism. Ithaca: Cornell University Press, 1984.

HOLLIDAY, Adrian. Appropriate Methodology and Social Context. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

KUMARAVADIVELU, B. Beyond Methods: Macrostrategies for Language Teaching, and Understanding Language Teaching: From Method to Postmethod. Yale University, 2003.

KUMARAVADIVELU, B. Toward a post method pedagogy. California: Teachers of English to Speakers of Other Languages. TESOL Quarterl, 2001. p.537-539. Disponível em: . Acesso em: 28/11/2017.

PACHECO. Agenor Sarraf. Cidade-floresta. In UWA’KÜRÜ: dicionário analítico: Nepan Editora, Rio Branco, Acre, 2016.

PAIVA, Vera Menezes de Oliveira. Refletindo sobre estilos, inteligências múltiplas e estratégias de aprendizagem. In PAIVA, Vera Menezes de Oliveira e. (Org.). Práticas de Ensino e Aprendizagem de Inglês com foco na Autonomia. Campinas: Pontes Editores, 2007.

ROBERTSON, Roland. ‘Globalisation or Glocalisation?’. The Journal of International Communication 1(1): 33-52, 1994.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2004.

SANTOS, Souza Boaventura de. Para uma pedagogia do conflito. In: SILVA, Luiz Heron; AZEVEDO, José Clóvis de; SANTOS, Edmilson Santos dos. (Orgs.). Novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre, 1996.

TEIXEIRA. Elenaldo Celso. O local e o global: limites e desafios da participação cidadã. São Paulo: Cortez, 2002.

UCHOA, J. M. S. Narrativas de professores em formação sobre a didatização de podcast para o ensino de inglês na floresta. 225 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – PPGEL, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REVISTA COMMUNITAS

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

     Licença Creative Commons Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

REVISTA COMMUNITAS - ISSN: 2526-5970 - Publicação Semestral do Grupo de Pesquisas em Memórias, Identidades, Currículos e Culturas vinculado ao Centro de Educação e Letras da Universidade Federal do Acre.