AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM: AS CONCEPÇÕES DE PROFESSORES E ALUNOS DO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

Letícia Mendonça Lopes Ribeiro, Deise Maria de Abreu Catão, Raimunda Nonata Almeida da Silva

Resumo


Objetivamos identificar as concepções de professores e alunos, do 9º ano do ensino fundamental, quanto à avaliação da aprendizagem, considerando as particularidades desta etapa de ensino. Para tanto, analisamos essencialmente as concepções que envolvem a avaliação da aprendizagem (LUCKESI, 2006; HOFFMANN, 2008; COSTA, 2014). Logo, desenvolvemos uma pesquisa qualitativa e aplicamos um questionário aos 12 sujeitos de pesquisa – seis professores e seis estudantes do 9º ano de uma Escola Estadual de Ensino Fundamental em Tarauacá, Acre. Os resultados suscitaram que os sujeitos da pesquisa consideram a avaliação da aprendizagem como um instrumento norteador do trabalho dos professores e alunos. Concluímos que os resultados auxiliarão os momentos de formação continuada, promovidos aos docentes, o que possibilitará novos olhares à avaliação da aprendizagem, a ser vista como significativa ao desenvolvimento da aprendizagem e ao aprimoramento docente.

Palavras-chave


Avaliação da aprendizagem. Ensino Fundamental. Concepções.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2008.

BEHRENS, M.A. O Paradigma emergente e a prática pedagógica. 4ª Edição, Curitiba, PR: Editora Universitária Champagnat. 2005.

BELLONI, I.; MAGALHÃES, H.; SOUSA, L.C. Metodologia de avaliação em políticas públicas: uma experiência em educação profissional. São Paulo: Cortez, 2001.

BEYER, H. O. Inclusão e avaliação na escola de alunos com necessidades educacionais especiais. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2006.

BROGIATO, L.S. Avaliação da aprendizagem: Mapeando concepções de professores de um Curso de Ciências Econômicas. 128 fl. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2015.

CALDEIRA, A.C.M. Avaliação da aprendizagem em meios digitais: novos contextos. 2004. Disponível: . Acesso em: 28 jan. 2016.

CAMARGO, W.F. Avaliação da aprendizagem no ensino fundamental. 2010. 101 fls. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2015.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 1998.

COSTA, O. M. S.; Avaliação escolar e sua significação no processo educativo na primeira fase do ensino fundamental. Cadernos ANPAE, v. 18, p. 1-15, 2014. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2015.

FREIRE, L.I.F. FERNANDEZ, C. Professores novatos de química e o desenvolvimento do PCK de oxidorredução: influências da formação inicial. Educ. quím., 25(3), 312-324, 2014. Disponível em: . Acesso em: 07 fev. 2016.

FREITAS, Luiz Carlos de et al. Avaliação educacional: caminhando pela contramão. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

GUIMARÃES, H.M. Concepções, crenças e conhecimento – afinidades e distinções essenciais. Quadrante, v.19, n.2, p. 81-101, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12 jun. 2018.

HOFFMANN, J. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2008, 10 ed., p. 15-36.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: Nóvoa, A. Vidas de professores. Porto, Porto Editora, 1992.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

LUCENA, C. O pensamento educacional de Émile Durkheim. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.40, p. 295-305, 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2015.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

MELLO, D.T. Provinha Brasil (ou “provinha de leitura”?): mais uma “avaliação sob medida” do processo de alfabetização e “letramento inicial?”. 2012. 402 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 nov. 2015.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PILETTI, C. Didática geral. São Paulo, Ática, 1987.

PÖTTKER. C.A. A atuação do Professor-psicopedagogo na escola: suas implicações no processo de escolarização. Dissertação de mestrado – Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2015.

RICHARDSON, R.J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SANT’ANNA, I. M. Por que avaliar? Como avaliar? Critérios e instrumentos. 3ª Edição, Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

SAVIANI. D. Sistema Nacional de Educação articulado ao Plano Nacional de Educação. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 44, ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2015.

VYGOTSKY, L. S. Acerca de los processos compensatórios en el desarrollo del niño mentalmente retrasado. In: VYGOTSKY, L. S. Obras escogidas V: fundamentos de defectología. Madrid: Visor, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 REVISTA COMMUNITAS

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

     Licença Creative Commons Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

REVISTA COMMUNITAS - ISSN: 2526-5970 - Publicação Semestral do Grupo de Pesquisas em Memórias, Identidades, Currículos e Culturas vinculado ao Centro de Educação e Letras da Universidade Federal do Acre.