OBJETIVOS COMUNS EM ESPAÇOS DISTINTOS: A PARTICIPAÇÃO DE INTELECTUAIS NO MOVIMENTO DE RENOVAÇÃO EDUCACIONAL DE 1930

Maria Irinilda da Silva Bezerra, Ana Gabriela Saba

Resumo


Este artigo tem como finalidade discutir a inserção dos intelectuais brasileiros no movimento de renovação educacional da década de 1930, ampliando a reflexão sobre a categoria intelectual. Pautando-se por este objetivo desenvolvemos um estudo comparativo entre a atuação de intelectuais como Roquette Pinto e Jonathas Serrano, intelectuais da educação de renome nacional com atuação, sobretudo, no Rio de Janeiro e os religiosos católicos, intelectuais que igualmente pensavam a educação, porém com atuação apenas na região do Vale do Juruá, no Estado do Acre. O estudo adotou uma abordagem qualitativa, desenvolvida a partir do estudo bibliográfico e da análise documental de fontes como: impressos pedagógicos, ofícios e correspondências escolares. Como aporte teórico nos embasamos em autores como: Bezerra; Grotti (2017), Bezerra; Saba (2017), Vieira (2008), Warde (2003), Bezerra (2015), Sirinelli (2003). Os resultados deste estudo apontaram que, embora em espaços geográficos e certamente, culturalmente distintos, os intelectuais de renome nacional e os intelectuais católicos da região do Vale do Juruá igualmente participaram do mesmo movimento de renovação educacional, apresentando inserção em semelhantes redes de sociabilidade, ou seja, se envolveram com a produção de materiais didáticos para as redes escolares, particular e pública, participaram de sindicados e representações de professores, atuaram na gestão das redes públicas e particulares de ensino e outros.


Palavras-chave


Renovação Educacional; Intelectuais; Espaços distintos; Objetivos comuns.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Claudia. Problemas da relação educação-cidadania na história brasileira. In: FELGUEIRAS, M. L. e VIEIRA, C. E. (orgs). Cultura escolar, migrações e cidadania. Porto: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, 2010.

BACKHAUSER, Everardo. Manual de Pedagogia Moderna. 5 ed. Rio de Janeiro: Globo, 1954.

BEZERRA, M. I. da S. Escola Normal Regional De Cruzeiro Do Sul: Espaço Para Uma Intelectualidade Cunhada No Chão Da Escola. In: IV CBHE: Anais Eletrônicos do IX Congresso Brasileiro de História da Educação. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba, 15 a 18 de agosto de 2017, ISSN 2236-1855.

_____. Tese de Doutorado. Formação docente institucionalizada na Amazônia acriana: da escola normal regional à escola normal padre Anchieta (1940-1970). Universidade Federal Fluminense, Programa de Pós-Graduação em Educação. Niterói/RJ, 2015.

BEZERRA, M. I. S.; GROTTI, G. L. Pensando a democracia e a cidadania nas interfaces históricas e contemporâneas. In: Revista Perspectivas em Diálogo: Revista de Educação e Sociedade, Naviraí, V. 4, n. 8, p. 46-59, jul. - dez. 2017 UFMS/CPNV, ISSN: 2358-1840 Disponível em: Acessado em 10 de janeiro de 2018.

CAMPELO, Taís. Jonathas Serrano, narrativas sobre cinema. In: Cadernos de Ciências Humanas - Especiaria. v.10, n.17, jan./jun., 2007, p. 57-76.

CARVALHO, Marta. A Escola Nova e o impresso: um estudo sobre estratégias editoriais de difusão do escolanovismo no Brasil. In: FARIA FILHO, L. M. de (org). Modos de ler, formas de escrever: estudos de história da leitura e da escrita no Brasil. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

CARVALHO, M. M. C. de. Molde nacional e forma cívica: higiene, moral e trabalho no projeto da Associação Brasileira de Educação (1924- 1931). Bragança Paulista, SP: EDUSF, 1998.

FREITAS, Itamar. A Pedagogia histórica de Jonathas Serrano: uma teoria do ensino de História para a escola secundária brasileira (1913/1935). São Cristóvão: Editora da UFS, 2008.

LOPES, Sonia de Castro. Oficina de mestres: história, memória e silencio sobre a escola de Professores do Instituto de Educação do Rio de Janeiro (1932-1939). Rio de Janeiro: DP&A/FAPERJ, 2006.

MAGALDI, Ana Maria; NEVES, Carla Villanova. Valores católicos e profissão docente: um estudo sobre representações em torno do magistério e do ser professora (1930-1950). Goiânia: 2006.

NUNES, Clarice. Anísio Teixeira. Brasília: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010. 152 p.: il. – (Coleção Educadores/MEC).

NUNES, Clarice. As políticas públicas de educação de Gustavo Capanema no governo de Vargas. In: BOMENY, H. (org.) Constelação Capanema: intelectuais e política. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001.

RANGEL, Jorge Antonio. Edgard Roquette-Pinto – Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.

RUMMERT, Sonia; ALGEBAILE, Eveline; VENTURA, Jaqueline. Educação e formação humana na integração subalterna no capital-imperialismo. 34ª Reunião da ANPED: Natal/RN, 2011.

SILY, Paulo Rogério Marques. Casa de ciência, casa de educação: ações educativas do Museu Nacional (1818-1935). – 2012. Orientador: José Gonçalves Gondra. Tese (Doutorado), Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Educação.

SIRINELLI, François. Os intelectuais. In: REMOND, R. (org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: Ed UFRJ/FGV, 2003.

TANURI, Leonor Maria. História da formação de professores. Revista Brasileira de Educação. N.14, mai/jun/ago 2000.

TEIXEIRA, Anísio. Educação não é privilégio. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.70, n.166, 1989. p. 435-462.

VICENTINI, Paula; LUGLI, Rosário. História da profissão docente no Brasil: representações em disputa. São Paulo: Cortez, 2009. v. 4.

VIDAL, D.; PAULILO, A. L. Projetos de implementação da Escola Nova na capital do Brasil (1922-1935). In: MAGALDI, A. M.; ALVES, C.; GONDRA, J. G. (orgs). Educação no Brasil: história, cultura e política. Bragança Paulista: EDUSF, 2003.

VIEIRA, Carlos Eduardo. Inteligentsia e intelectuais: sentidos, conceitos e possibilidades para a história intelectual. Revista Brasileira de Educação. Campinas: Autores Associados; SBHE, n. 16, jan./abr, 2008.

VILLELA, Heloisa. O mestre-escola e a professora. In: LOPES, Eliane Marta Teixeira. et al. 500 anos de educação no Brasil. 2 ed. – Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

WARDE, Mirian Jorge. O itinerário de formação de Lourenço Filho por descomparação. Revista brasileira de história da educação, n° 5 jan./jun. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 REVISTA COMMUNITAS

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

     Licença Creative Commons Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

REVISTA COMMUNITAS - ISSN: 2526-5970 - Publicação Semestral do Grupo de Pesquisas em Memórias, Identidades, Currículos e Culturas vinculado ao Centro de Educação e Letras da Universidade Federal do Acre.