NO RANGER DAS RENDAS: O ALCAZAR LÍRICO NA CRÔNICA COTIDIANA E NA VIDA DA CIDADE

Luciana Nascimento

Resumo


A cidade gerada pela modernidade engendrou os ditames do modo capitalista de produção, com suas dissonâncias e conflitos. Essa configuração do fenômeno urbano gerado na modernidade estava diretamente associada ao desenvolvimento do mercado capitalista e, de fato, a cidade moderna ganhou formas e traçados que a distinguiram de outras espécies de aglomeração precedentes, até mesmo se pensarmos na geração de novas sensibilidades e percepções urbanas. Neste trabalho, nosso objetivo  é fazer uma reflexão sobre as relações entre literatura e cidade, pensando a representação do teatro Alcazar Lírico no cotidiano da cidade, a partir de leituras de textos de Joaquim Manuel de Macedo, crônicas de Machado de Assis e crônicas e textos do Jornal do Comércio, que tematizavam o impacto do Alcazar lírico na sociabilidade do Rio de Janeiro, em 1859.


Palavras-chave


Cidade, crônica, literatura, Alcazar lírico, sociabilidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Revista Anthesis

Universidade Federal do Acre - Campus Universitário de Cruzeiro do Sul 
Centro de Educação e Letras

Estrada do Canela Fina, Km 12, Gleba Formoso – Cruzeiro do Sul – AC. CEP: 69980-000

Contato: cel.ufac@gmail.com

Fluxo: contínuo | Periodicidade: Semestral | Área: Educação, Linguística e Literatura | ISSN: 2317-0824 | Qualis Capes (ano base 2016): B5 (Linguística e Literatura) B4 (Interdisciplinar) C (Educação).